Por uma Assembléia Nacional Desconstituinte

imagesNão é por outro motivo, senão pelas más escolhas que fizemos no campo da Ética, da Política e da Economia, que chegamos ao atual estado de degradação no qual nos encontramos.

Ao longo das últimas décadas, nossa sociedade vem sendo enclausurada por densa, intrincada, cinzenta e infindável rede de constituições, leis, normas, decretos, portarias, instruções normativas, medidas provisórias, códigos, estatutos, regimentos, resoluções, regulamentos e todo tipo de imposição que afrontam o direito das pessoas de levarem suas vidas em paz.

Esse verdadeiro labirinto legal, nos coloca invariavelmente perante minotauros estatais, são agências, secretarias, ministérios, câmaras, conselhos, institutos, fundações, repartições, autarquias, enfim, bestas incontidas que se caracterizam pelo uso da força para agredir nossos valores de forma repulsiva.

Vivemos atualmente um nó institucional onde o indivíduo está impedido legalmente de buscar a sua felicidade legítima. Os interesses difusos colocados acima dos direitos reais e verdadeiros das pessoas, acabaram por constranger o entendimento espontâneo que gera a riqueza e sua distribuição justa e imediata.

A consequência disso tem sido esse quadro crônico de carências que leva a população a questionar o status quo, reclamando por mudanças, demandando que se faça algo novo, que se recrie mais instrumentos para satisfazer as insolventes necessidades.

O que poucos tem apontado no entanto, é que não há nada mais a ser feito. Pelo contrário, é gigantesco o trabalho para desfazermos tudo o que os agentes políticos, incansavelmente, vem construindo a partir das suas consciências, normalmente turvadas pela incompreensão da realidade ou pela simples e nefasta deficiência de caráter, que vem gerando apenas mais conflito, maior desigualdade e indesejável expansão da pobreza e da desesperança.

O que de fato menos necessitamos, é de plebiscitos ou referendos, de políticos estimulados a intervir. Precisamos isso sim, urgentemente, é de uma Assembléia Nacional Desconstituinte, que liberte-nos das amarras das centenas de cláusulas constitucionais, das milhares ou centenas de milhares de ilegítimas normas legais que impedem que possamos viver nossa vida, desfrutar das nossas propriedades e exercer a nossa liberdade como bem entendermos, sem violência, sem coerção, com o inalienável direito de sermos únicos, felizes e irmanados com quem bem quisermos.

Roberto Rachewsky

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: