Archive for julho 6th, 2012

06/07/2012

Nada a declarar


No inverno de 1077, o imperador Henrique IV fez a peregrinação a Canossa, curvando-se perante o papa Gregório VII, que o excomungara. Quase um milênio depois, Lula conheceu a sua Canossa, peregrinando com Fernando Haddad a tiracolo até o jardim da mansão de Paulo Maluf, que expôs publicamente sua troca de afagos com a dupla petista. O cargo federal entregue por Dilma Rousseff a um protegido de Maluf não foi o preço, mas apenas a parcela de superfaturamento cobrada pelo minuto e meio de tempo de TV que o PP vendeu ao candidato lulista à Prefeitura de São Paulo. Conhecedor do valor das obsessões, Maluf impôs a Lula a quitação da dívida por um gesto de humilhação maior que o experimentado pelo soberano do Sacro Império: o papa, afinal, dispunha de poder incomparavelmente superior ao do fugitivo da Interpol.

Luiza Erundina suportaria a aliança com o PP, mas não tolerou a “forma” – a simbologia – que cercou o compromisso. Ela se retirou da chapa à Prefeitura e acusou Lula de uma traição “a princípios”. É um recurso de autoilusão, tão patético quanto suas declarações anteriores, que invocavam a “luta pelo socialismo” para justificar sua parceria com Haddad. O “princípio” exclusivo de Lula são os

read more »

Anúncios